8 dezembro, 2019
HR Bahia
  • Home
  • Bahia
  • Maior traficante da Bahia, ‘Dona Maria’ nega acusações, diz estar grávida e anuncia livro da sua vida
Bahia Brasil HR BAHIA Notícias Vitória da Conquista

Maior traficante da Bahia, ‘Dona Maria’ nega acusações, diz estar grávida e anuncia livro da sua vida

Líder de facção Bonde do Neguinho, a traficante disse estar grávida, mas para o delegado é uma tentativa dos advogados dela para conseguir algum tipo de vantagem, a exemplo da prisão domiciliar.

Líder da facção Bonde do Neguinho (BDN), Jasiane Silva Teixeira, a popular ‘Dona Maria’, ganhou os noticiários da Bahia nos últimos dias. Apresentada à imprensa na manhã da última segunda (30), na sede da Polícia Civil, em Salvador, ela nega as acusações, revela que está grávida e anuncia livro da sua vida. Após ser descoberta em São Paulo, ‘Dona Maria’ acabou presa junto com o namorado, uma das lideranças do Primeiro Comando da Capital (PCC).

‘Dona Maria’, como ficou conhecida no meio policial ao assumir o posto do ex-marido morto em confronto com a polícia, responde a três processos criminais, todos com mandado de prisão em aberto, um deles pela morte de um agente penitenciário. Ainda segundo a Polícia Civil, ela é responsável por ordenar diversas execuções na Bahia, principalmente na região de Vitória da Conquista, Sudoeste baiano.

Após a coletiva, falou ao jornal Correio sobre sua situação e negou o vulgo a ela atribuído. “Meu nome é Jasiane Silva Teixeira. Desconheço esse vulgo ‘Dona Maria’. Se eu quisesse um vulgo, não seria esse. Isso foi através de uma escuta telefônica. Meu finado marido fazendo uma brincadeira, e já saiu uma reportagem assim que ele morreu [dizendo] ‘viúva de fulano de tal, Dona Maria’… Desconheço esse vulgo. Foi através de uma escuta telefônica. E a partir daí colocaram uma fama em mim da qual eu desconheço”.

Gravidez
Ainda na última sexta-feira (27), a traficante passou a dizer que estaria grávida. Mas para o diretor do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), delegado Marcelo Sansão, é uma tentativa dos advogados dela para conseguir algum tipo de vantagem, a exemplo da prisão domiciliar.

“Na sexta, ela veio com a informação de que estava grávida e então a gente solicitou a perícia para que fizesse coleta de material para confirmar a versão, mas ela não quis. A gente acredita que ela está trazendo uma informação inverídica nesse sentido, mas a gente vai fazer a confirmação, até porque, se ela estiver grávida, não vai conseguir esconder. Ela tem dois filhos pequenos, mas não vivem com ela”, disse Sansão.

Pasta base da Bolívia
Em outubro do ano passado, três homens foram presos em Vitória da Conquista em uma aeronave usada no transporte interestadual de drogas. Segundo a polícia, o avião era do BDN e era monitorado há cerca de um ano e meio. O trio foi capturado no povoado de Baixa do Cocá, que fica distante cerca de 37 quilômetros de Conquista, após equipes da 10ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Vitória da Conquista) identificarem uma pista clandestina em uma fazenda do local.

O BDN buscava pasta base de cocaína na Bolívia, passava pelo Pará e depois distribuía para outros estados brasileiros, entre eles a Bahia, segundo a polícia. Com os suspeitos, foram apreendidos o avião monomotor, pouco mais de R$ 7 mil em espécie, uma pistola calibre 9 mm (uso restrito) e uma caminhonete de luxo. O delegado comentou a movimentação financeira da facção.

“No avião, foi apreendido no ano passado um volume grande de drogas, essa movimentação não foi a primeira. O que descobrimos é que a aeronave vinha fazendo a circulação entre países da América Latina, passando por outros estados do Brasil para ser distribuído uma droga de qualidade. Essa aeronave está hoje em uso policial e foi comprada nos Estados Unidos em 2017 e pela Dona Maria. Tem facilidade de descer em qualquer pista e por isso é muito utilizado para essa atividade ilícita. É um fusca dos aviões”, contou o delegado.

O delegado disse ainda que, com o dinheiro do tráfico, Jasiane vivia uma vida luxuosa, gastando o dinheiro com roupas, viagens, procedimentos estéticos e até arcava com o custo do estudos de parentes. “Pagava a faculdade de Medicina de uma parente no Rio de Janeiro. É uma faculdade cara em Petrópolis e o pagamento era feito através da atividade ilícita de dona Maria”, contou.

O delegado falou em seguida que Jasiane será encaminhada para a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado da Bahia (Seap), que irá mandá-la a uma unidade. “A Seap está ciente da periculosidade dela, mas, aqui na Bahia, não existe cela individual para mulheres. Diante do perigo que ela representa, a minha vontade é encaminhá-la para o sistema prisional federal, mas não recebe mulheres”, declarou Sansão.

O livro
Em sabatina pelos jornalistas, Jasiane respondeu algumas perguntas na maior tranquilidade. Em outras situações, ela usou o deboche. No final, disse que pretende lançar um livro para contar sua trajetória. Sobre as acusações de ser a líder do BDN, da compra de um avião, ela disse “desconhecer”.

“Eu quero dizer que isso é holofote em cima de mim. Eu sou uma simples mulher como outra qualquer que me deram uma fama que desconheço. Estou aqui por captura, porque tinha uma sentença a cumprir. Eu não me declaro inocente, porque a partir do momento que a polícia determina a prisão de uma pessoa, algo tem, mas estou vendo um holofote muito grande”, disse.

Ela afirmou reconhecer apenas uma de inúmeras acusações: associação para o tráfico. Segundo a polícia, ela responde processo também por tráfico e homicídio, neste caso, a morte de um agente penitenciário em Jequié. “Aonde estão esses milhões? Se eu tivesse esses milhões, estaria presa? Estaria desse jeito. Cadê o luxo? Nossa, como vocês são, heim? Adoram fazer burburinho. Estou famosa mesmo. Vocês gostam, né? (…)”, disse ela.

Sobre ter se recusado a fazer um exame para confirmar a gravidez, ela não quis confirmar. “Estou com suspeita de gravidez. Vocês querem realmente saber? Mas eu não vou falar, para mim já deu. O certo seria falar na presença de minha advogada. Desde o dia que fui presa, não deixaram falar com ela. Não me consideraram uma ligação”, afirmou. Segundo Dona Maria, sua renda era fruto da pensão da mãe. “A minha mãe foi casada com um desembargador e recebe uma pensão”, declarou.

As informações são de textos do site Correio / Jornal da Chapada / FOTO: Reprodução/Correio

Comente

comentários

Publicações Relacionadas

Dudé repudia notícias falsas sobre presidente da Viação Novo Horizonte: “Seu Edgar está forte, firme”

hrbahia

Caixa já pagou 42% do valor disponível para saque imediato do FGTS

hrbahia

Caetité: Grupo chinês confirma a Rui investimento de R$ 1 bilhão em energia renovável na Bahia

hrbahia
Carregando....