29 setembro, 2020
HR Bahia
  • Home
  • Acidente
  • Guanambi registra segundo incêndio em menos de dois dias
Acidente Guanambi HR BA HR BAHIA Notícias

Guanambi registra segundo incêndio em menos de dois dias

 

Mais um incêndio foi registrado em menos de dois dias em Guanambi. O novo registro ocorreu na manhã desta quinta-feira (6) e a brigada de incêndio da Superintendência de Trânsito de Guanambi (Smtran), foi acionada para combater as chamas nas imediações do bairro Monte Azul.

De acordo com o coordenador da Smtran, Rogério Mota, as chamas iniciaram por volta das 11h, no entanto, a brigada só foi acionada às 11h40. O fogo iniciou em uma área de vegetação que fica próxima à residências.

A brigada de incêndio se deslocou até o bairro com duas unidades de combate. Apesar da ação dos agentes, o fogo consumiu boa parte da vegetação em torno do bairro e só foi controlado por volta das 13h.

Segundo Mota, a suspeita é que o fogo tenha iniciado em um terreno, área particular que liga o Bairro Monte Azul ao bairro Brasília e Caiçara. Ainda conforme o coordenador, há cerca de 3 meses os proprietários cercaram todo o terreno para evitar que as pessoas entrassem e jogassem lixo, no entanto, os arames foram cortados e muito lixo foi descartado no terreno. “Tudo indica que o fogo teve início no lixo e com o vento forte as chamas se alastram”, pontua Mota.

Dois dias antes, na terça-feira (4), um incêndio de grandes proporções foi registrado na fazenda Lagoa da Cabaça, cerca de 3 quilômetros da sede do município de Guanambi. De acordo com a Superintendência de Trânsito, moradores das localidades vizinhas também ajudaram no combate as chamas que consumiram a pastagem e árvores nativas, causando grande poluição.

Outros incêndios de grandes proporções foram registrados esse ano em Guanambi. Um no dia 5 de maio no bairro Industrial. O fogo consumiu o estoque e máquinas de uma madeireira.

Outro foi registrado no dia 16 de julho na comunidade de Capoeira Queimada, zona rural de Guanambi. O fogo atingiu cerca de quatro propriedades, destruindo parte da manga de capim, além de várias cercas e postes de energia.

E um próximo ao bairro industrial, no dia 22 de julho – o fogo se alastrou por propriedades rurais adjacentes ao perímetro urbano. O fogo foi iniciado em uma área cheia de lixo, localizada próxima às antigas usinas do bairro. Com o vento forte, as chamas acabaram se alastrando e atingindo a área rural.

O avanço do inverno na região deixa a vegetação seca e queimadas costumam ser comuns nessa época do ano. Além de causar prejuízos para a agropecuária e para a fauna, a fumaça próxima a áreas habitadas incomoda os moradores e causa danos a quem tem problemas respiratórios.

Embora a estação não tenha característica de temperaturas altas, a baixa umidade do ar contribui para deixar a vegetação mais seca e consequentemente mais inflamável. Conforme a Superintendência de Trânsito (Smtran) a maioria dos incêndios ocorreram em terrenos baldios, colocados por pessoas não identificadas.

A brigada de incêndio é acionada pelo Centro Integrado de Comunicações (Cicom), por meio do 190. O horário de funcionamento da Smtran é de seg a sex das 07h à 00h00 e Sab e dom das 07h às 06h.

Por Geovane Santos / agenciasertao / Foto: Smtran

Comente

comentários

Publicações Relacionadas

Regina Duarte deixa comando da Secretaria Especial de Cultura

hrbahia

Voluntários de testes de vacina russa apresentam imunidade contra o coronavírus

hrbahia

Geddel Vieira Lima testa positivo para Covid-19; ex-ministro está preso em Salvador

hrbahia
Carregando....