29 setembro, 2020
HR Bahia
  • Home
  • Bahia
  • Caetiteense representará a Bahia no concurso Miss Beleza T Brasil
Bahia Caetité Concurso HR BA HR BAHIA Notícias

Caetiteense representará a Bahia no concurso Miss Beleza T Brasil

 

Ananda Daniele Oliveira, caetiteense de 22 anos, estará representando a Bahia no concurso Miss Beleza Trans Brasil!
Discente do curso de licenciatura em Ciências Biológicas e do curso de graduação em Design de Moda, Ananda também integra alguns coletivos, como o Coletivo Feminista Marias e o Coletivo Unetrans+. O concurso ocorrerá em São Paulo, no final do mês de outubro.
Em 2019, Ananda representou o estado do Rio Grande do Norte, pois já havia uma representante da Bahia, conseguindo alcançar o Top 15.
As inscrições para 2020 foram abertas logo no início do ano e ela não hesitou em participar novamente. “A inscrição para o concurso abriu no início de janeiro, logo fiz minha inscrição. Quando a equipe da organização do concurso entrou em contato comigo, sinalizando que fui aclamada para ser a Miss Beleza T Bahia 2020, e consequentemente ser uma das candidatas ao título de Miss Beleza Brasil 2020, fiquei muito feliz e esperançosa”, relata.
Ananda afirma que já está se preparando para o concurso e que se sente mais preparada que o ano anterior.
Desde mais nova, ela sempre se encantava com o mundo das passarelas. “Sempre fui encantada com o mundo das misses, me recordo que desde criança assistia aos concursos que passavam na televisão, e sonhava em ser igual aquelas mulheres tão exuberantes. Entretanto, aquele desejo parecia ser muito distante da minha realidade. Hoje percebo que sempre trilhei caminhos para me tornar quem sou hoje. Tive diversos momentos na minha infância e adolescência em que usava os sapatos de saltos, tanto de minhas irmãs quanto da minha mãe. Ficava andando pela casa, quando estava sozinha, e de certa forma ia criando a minha fantasia dentro do universo feminino. E cá estou eu hoje, sendo uma Miss de verdade, percebo que o desejo e sonho de infância, passou a ser um dos propósitos de minha vida. Compreendo que para ser uma miss não é necessário ter um corpo perfeito e/ou uma estética padrão, é necessário reconhecer as nossas individualidades. Não é necessário ter muitos recursos, precisamos ter dedicação e o esforço para que assim consigamos alcançar nossas metas. ”
Em um vídeo feito para o concurso, Ananda conta como foi a aceitação de sua mudança de gênero por sua família e amigos: “foi complicada, pois as pessoas não compreendiam muito bem sobre que eu era. Confesso que alguns familiares e amigos foram o meu porto seguro, e por isso ressalto a importância do apoio familiar. Sempre fui próxima a minha mãe e tive o completo apoio dela, que apesar de não saber lidar com as situações relacionadas a minha identidade de gênero, sempre me respeitou e contribuiu para me torna a mulher forte que sou hoje!
Ananda ainda deixou um recado para quem deseja se ingressar no mundo das passarelas, principalmente ao público LGBTQ+: “tenho três palavras que carrego sempre comigo e que serão levadas por toda a vida, palavras que contribuíram muito dentro da minha realidade e a minha afirmação de gênero, que são ter PACIÊNCIA, ESPERANÇA e EMPATIA. Acredito que essas são palavras-chave para lidar com diversos aspectos do nosso cotidiano e que sempre me fortalecem.” CLIQUE AQUI VEJA VÍDEO

Por Léia Andrade / hrbahia / Foto: Divulgação rede social

Comente

comentários

Publicações Relacionadas

Juceb registra abertura de mais de 6,7 mil empresas entre abril e julho deste ano

hrbahia

Por uma nova Independência – Psol Caetité realiza Convenção Municipal

hrbahia

Homens são baleados na zona rural de Carinhanha e veículos foram incendiados

hrbahia
Carregando....